Total de visualizações de página

Seguidores

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

"O rato que ruge"

Difícil se ver hoje uma comédia tão talentosa como O rato que ruge ( The mouse that roared, 1959), de Jack Arnold (realizador notável: O incrível homem que encolheu, entre outros). E mais: filme que desapareceu de circulação e não se pode encontrá-lo em DVD nem pode ser visto nas grades programativas das televisões a cabo ou por assinatura. Mas a memória o guardou como uma comédia de rara inteligência, de profunda ironia, plena de gags inteligentes. A dificuldade em encontrá-lo parece que é devido a problemas de distribuição, porque filme oriundo da Inglaterra, embora distribuído para o mundo pela americana Columbia.
O rato que ruge mostra como um pequeno país em grave crise financeira declara guerra aos Estados Unidos. Os seus dirigentes raciocinam da seguinte maneira: como perderão a guerra, destroçados, o país receberá ajuda internacional para se reerguer, e, com isso, todos os seus problemas financeiros estarão sanados. Vê-se logo o sui generis da base do argumento. Vinte homens armados de arco e flecha pegam uma barcaça e chegam aos Estados Unidos. Mas surge um problema que não estava nos planos estratégicos: eles ganham a guerra.
Com o impagável Peter Sellers (já antecipando seus variados papéis em Dr. Fantástico, pois faz aqui a Grã-Duquesa, o primeiro-ministro e mais dois personagens), Jean Seberg (que neste mesmo ano, 1959, se tornaria eterna como a Patricia de Acossado/A bout de souffle, de Jean Luc Godard), Leo McKern, entre outros notáveis do cinema inglês.


7 comentários:

Jonga Olivieri disse...

Uma obra-prima da comédia.
Vivo falando sobre ela com meu filho.
Lembro-me até hoje da apresentação em que a mulher representando a Estátua da Liberdade sai de cena porque chega um ratinho ao seu lado.
Já andei procurando o DVD, mas nem na Modern Sound (que tem tudo o que se pode imaginar) consegui encontrar.
Pelo Google consegui saber que existe um DVD lançado em Portugal, mas, infelizmente, não podemos assistir em nossos aparelhos aqui no Brasil.
Os três papéis de Sellers são brilhantes, e é o que este trailer mostra muito bem, dando uma idéia da qualidade deste filme.
Torçamos para que seja lançado em DVD compatível com as nossas "maquininhas" e que possamos ter o prazer de assisti-lo.

André Setaro disse...

Quando vi 'O rato que ruge' ainda era adolescente. Depois, retirado de cartaz, nunca mais o vi. É uma obra de difícil acesso.

Efigênia Coutinho disse...

André Setaro , MEUS CUMPRIMENTOS A BELEZA DESTE SEU ESPAÇO DEDICADO A CULTURA CINEMATOGRÁFICA, POIS VEM SOMENTE A SOMAR NESTE MUNDO VIRTUAL. TUDO MUITO BEM FEITO, CONTEÚDO DE PRIMEIRA, E VAMOS MATANDO A SAUDADE DO QUE VIMOS E FOI BOM, COM ADMIRAÇÃO, SEREI SUA SEGUIDORA DO MESMO,
Efigênia Coutinho
Presidente Fundadora
Academia Virtual Sala de Poetas e escritores

Pedrita disse...

o nome não me é estranho, então acho que já vi há muito tempo. obrigada pela visita e elogios ao meu blog. o telecine volte e meia revisita grandes filmes. quem sabe um dia não passam esse. beijos, pedrita

Toni disse...

Grande filme, que vi na minha adolescência e pude rever ontem, 01/11/2009, no TCM.

Anônimo disse...

Passou hoje (08/09/10) na TCM. Pena que só percebi quando o filme já tinha terminado... Quem souber onde adquirir o DVD, por favor, mande-me um email: fabiananobrega3@hotmail.com

Anônimo disse...

Um filme fantástico, uma comédia fabulosa, enfim, uma obra obrigatória para todas as gerações vindouras onde o bom gosto e uma excelente diversão serão bem vindos em qualquer lugar onde se possa apreciar esta produção maravilhosa.