Total de visualizações de página

Seguidores

sábado, 25 de fevereiro de 2012

sábado, 10 de dezembro de 2011

domingo, 6 de novembro de 2011

"Clamor do sexo", de Elia Kazan

Trailer de Clamor do sexo (Splendor in the grass, 1961), de Elia Kazan, quando o melodrama atinge a sublimidade e fica em estado de arte absoluto. Natalie Wood, Warren Beatty, Pat Hingle, entre outros, numa obra de extremada beleza e sensibilidade.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

"O Conformista", de Bernardo Bertolucci

Um dos melhores filmes de Bernardo Bertolucci é, sem dúvida, O Conformista, que surpreendeu gregos e troianos em princípios dos anos 70, quando de seu lançamento. O Cine Futuro homenageou o cineasta com uma grande retrospectiva, e Bertolucci enviou um vídeo para o evento se desculpando por não ter vindo por causa de compromissos outros.

O Conformista (Il Conformista, 1971/ EUA) from Cine Futuro on Vimeo.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

"Funny Girl", de William Wyler

Funny Girl - A Garota Genial (Funny Girl, 1968), de William Wyler, o estilista sem estilo, o diretor de Ben-Hur (e também de obras fundamentais como Os melhores anos de nossa vida, Da terra nascem os homens, O colecionador, Infâmia, Pérfida, Jezebel, tantas!), assinala os estertores do musical americano superproduzidos - e longe da simplicidade dos filmusicais produzidos por Arthur Freed e dirigidos por Vincente Minnelli, Stanley Donen, entre outros. O filme deu o Oscar a Barbra Streisand no papel da feiosa atriz e cantora. Barbara, ano depois, faria uma caricatura de Funny em Hellô! Dolly, que a Fox, não prevendo que a cultura musical tinha mudado e que os tempos eram mais chegados a Woodstock, entrou pelo cano, indo à falência. Os números musicais de Funny Girl, como o apresentado aqui neste blog, são excelentes, mas a direção de Wyler se restringiu à administração do elenco. Omar Shariff ainda desfrutava do prestígio alcançado em Dr. Jivago e faz par com La Streisand.

domingo, 19 de junho de 2011

"La passion de Jeanne D'Arc", de Dreyer

O martírio de Joana D'Arc (La passion de Jeannne D'Arc, 1928), de Carl Theodor Dreyer, um dos monumentos da arte do filme em todos os tempos.